IncluIF trouxe diálogo sobre a presença indígena no IFB




No segundo dia de ConectaIF 2022, o protagonismo indígena nos espaços educativos foi pauta na mesa sobre a presença dos povos originários no Instituto Federal de Brasília. O debate, parte do edital IncluIF, teve como objetivo refletir a respeito dos desafios que a população indígena enfrenta no contexto brasileiro e na necessidade de uma pedagogia mais sensível em sala de aula.


O egresso do curso Técnico em Eventos e indígena do povo Tapuia, Levi Tapuia, ressalta que promover esse debate durante um evento como o ConectaIF foi importante para falar sobre a experiência de ser um estudante que precisou sair da sua comunidade para aprender a conviver nos espaços urbanos e vencer todos os preconceitos.


“Eu me senti na obrigação de falar sobre como foi sair da minha comunidade para estudar em espaços onde diariamente pessoas como eu sofrem ao encontrar dificuldades na hora de aprender”, contou. “O intuito da nossa mesa de debate também foi pensar em como evitar a evasão escolar dos nossos povos.", conclui.


Além dele, para a estudante do curso de Gestão Pública do IFB e indígena dos povos Tapuia e Tabajara, Muriti Tapuia Tabajara, a mesa promovida pelo ConectaIF foi uma oportunidade para discutir sobre as conquistas e, especialmente, as reivindicações dos estudantes indígenas do IFB.


“Me sinto muito feliz de poder trazer provocações para este evento, principalmente, para debater sobre cotas para indígenas e falar sobre os nossos espaços que ainda não foram totalmente conquistados dentro dos institutos”, pontua.


60 visualizações

Posts recentes

Ver tudo